Vigilância Ambiental inicia levantamento de índice larvário do Aedes aegypti em Joinville

Vigilância Ambiental inicia levantamento de índice larvário do Aedes aegypti em Joinville

 

 

O Serviço de Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde de Joinville inicia o Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa) nesta terça-feira (08/10). O LIRAa é uma atividade desenvolvida pelo Ministério da Saúde desde 2002, realizada duas vezes por ano pelos municípios considerados infestados pelo Aedes aegypti.

Segundo Nicoli dos Anjos, coordenadora do Serviço de Vigilância Ambiental de Joinville, o levantamento permite um diagnóstico rápido da situação entomológica do município. “Realizamos coleta larvária em todo o município. O objetivo é identificar quais os principais recipientes que acumulam água e a quantidade de larvas positivas encontradas. Com o resultado, conseguimos definir o grau de risco para transmissão das doenças relacionadas ao vetor”, explica.

Para a análise e cálculo do risco, os pontos selecionados para a coleta larvária são definidos por meio de sorteio, que é a forma de determinar quais quarteirões serão vistoriados pela equipe e fornecerão amostras para compilação dos dados. Ela permite a identificação de áreas com maior proporção e ocorrência de focos, bem como dos criadouros predominantes, indicando o risco de transmissão de dengue, febre chikungunya e zika vírus.

A atividade é realizada por meio da visita a um determinado número de imóveis do município, onde ocorre a coleta de larvas para definir o Índice de Infestação Predial (IIP). A previsão é de que o LIRAa seja finalizado até o fim de outubro. No último levantamento, realizado em março deste ano, Joinville passou de baixo para médio risco de transmissão dos vírus, em comparação com o mesmo período de 2018.

Joinville concentra o maior número de focos do mosquito Aedes aegypti no estado, com 2.401 focos confirmados, número quase três vezes maior do que em 2018, quando foram registrados 806 focos. A cidade de São José tem o segundo maior número de focos, 2.161, seguida de Navegantes, com 1.376. Considerando os bairros de Joinville, com 358 focos positivos, o Boa vista é o bairro com maior infestação, seguido pelo Fátima, com 220, Itaum, com 213, Bucarein, com 173 e Guanabara com 153 focos.

Segundo o último boletim divulgado pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), Joinville registrou 12 casos de dengue importados e três autóctones e também teve três casos de chikungunya importados.

 

 

Por: Secom

Mais notícias

Educa Mais Brasil

Compartilhe
Entidade:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *