so_aqui

Defesa Civil de Joinville capacita estudantes sobre redução de riscos de desastres

Defesa Civil de Joinville capacita estudantes sobre redução de riscos de desastres
Defesa Civil de Joinville capacita estudantes sobre redução de riscos de desastres

 

Em palestra apresentada na quinta-feira (1o/11), alunos dos sextos anos da Escola Municipal Professor Oswaldo Cabral, no bairro Petrópolis, em Joinville, compartilharam com colegas informações sobre redução de riscos de desastres (RRD).

A ação faz parte do programa Defesa Civil na Escola, realizado pela Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Educação e Secretaria de Proteção Civil e Segurança Pública (SEPROT).

No mês de julho, professores da rede municipal de ensino foram capacitados sobre o tema e receberam orientações sobre fatores de riscos naturais (tempestades, vendavais, transbordamento de rios), sociais e antropológicos (falta de saneamento básico, construções em áreas de risco, descarte inadequado de lixo, transporte de produtos perigosos) e discutiram como reduzir riscos de desastres, com base na identificação de ameças e vulnerabilidades.

O conteúdo foi replicado aos alunos com o objetivo de transformá-los em agentes que colaboram com a Defesa Civil em iniciativas de prevenção e mitigação de riscos.

“A proposta foi trazer o tema aos alunos que participam do Programa de Educação Plena (PED) e criamos maneiras de as crianças entenderem a importância da RRD fazendo exibição de filmes, documentários, estudos sobre eventos climáticos e produção de maquetes. Também tivemos palestras com bombeiros e buscamos parcerias com especialistas”, explica a professora do PED, Francine Luísa da Silva.

Uma das ações desenvolvidas pelos alunos na Escola Municipal Professor Oswaldo Cabral foi a montagem de um pluviômetro para medir a quantidade de chuva incidente na região. O aparelho foi montado com o auxílio da equipe da Defesa Civil de Joinville. Diariamente, um aluno faz a aferição e as informações são registradas em uma planilha.

“Na tabela fica um histórico de quanto choveu na região e, com ele, o monitor (aluno ou professor), pode comunicar a Defesa Civil em um eventual estado de atenção. Essa escola, por exemplo, está ao lado do rio Itaum e, caso necessário, os professores podem deflagrar um plano de contingência, avisar os pais ou, até mesmo, dispensar os alunos. É uma forma de trabalharmos bem a questão da prevenção”, explica gerente de Proteção Civil da Seprot, Márnio Pereira.

A aluna do sexto ano, Sasha Guareschi, de 11 anos, é a responsável pela medição diária do pluviômetro da EM Professor Oswaldo Cabral. Segundo ela, as oficinas sobre redução de riscos de desastres trouxeram importantes informações que ela também compartilha com colegas e em casa.

“Aprendi para quem devo ligar em caso de acidentes ou se alguém passar mal. Também começamos a perceber algumas coisas e evitar possíveis acidentes. Na escola, avisamos o diretor sobre algumas luminárias que estavam sem proteção”, comentou Sasha.

 

Mais notícias

Compartilhe
Entidade:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *