Conselho Deliberativo aprova contas do exercício 2020 do Joinville

Na ultima terça-feira (25), o Conselho Deliberativo aprovou, por unanimidade, as contas do exercício de 2020 do Joinville Esporte Clube. Embora aprovadas, as contas tiveram importantes ressalvas consideradas pelo conselho e que deverão ser seguidas pela diretoria executiva.

 

Conselho Deliberativo aprova contas do exercício 2020 do Joinville (Foto: Divulgação)
Conselho Deliberativo aprova contas do exercício 2020 do Joinville (Foto: Divulgação)

 

Entre as ressalvas determinadas pelo Conselho Deliberativo na aprovação das contas de 2020, estão:

  • Acompanhamento mensal do Conselho Fiscal das demonstrações financeiras da diretoria executiva;
  • Apresentação trimestral do orçamento (orçado x realizado) para atender as determinações do Estatuto no cumprimento do orçamento, visando evitar excessos que possam diminuir a viabilidade financeira do clube;
  • Criação de comissão mista entre Conselho Fiscal e Diretoria Financeira para adequações necessárias no balanço;
  • Realinhamento para formalização contratual e de responsabilidades com o departamento do Futsal.

 

Charles Fischer, presidente do Joinville, avaliou como positiva a reunião. “É importante esse alinhamento. Essa diretoria que assumiu no final de 2020 está trabalhando para que cada vez mais esse alinhamento aconteça. Vamos estar abertos para receber o Conselho Fiscal e o Conselho Deliberativo para acompanharem nosso trabalho. Tenho certeza que juntos vamos fazer um Joinville maior. E esse é um dos nossos principais objetivos: transparência total. Vamos mostrar um grande trabalho para que o Joinville cresça cada vez mais”, afirmou o dirigente tricolor.

O presidente do Conselho Deliberativo, Darthanhan de Oliveira, elogiou o trabalho do Conselho Fiscal e considerou o encontro um marco para o clube. “Posso afirmar que, em dez anos que vivo o Conselho deliberativo, nunca presenciei um trabalho tão consistente de um conselho fiscal, como também não me recordo de um debate tão franco e maduro entre os envolvidos. Que seja um passo importante na reorganização contínua da instituição fora das quatro linhas”, disse mandatário do Conselho.

Darthanhan ainda fez questão de lembrar todas as missões dos três poderes do JEC que, segundo ele, precisam ser cumpridas e respeitadas. “Os poderes executivo, deliberativo e fiscal são independentes, porém complementares. Cada um tem suas atribuições e responsabilidades e devem ser respeitados, como rege o Estatuto. Quando um deles falha ou se omite na sua atribuição, o clube paga caro. Não é à toa o que estamos vivendo de 2015 pra cá”, afirmou.

 

 

Por: Assessoria de Imprensa do JEC

Mais notícias

Educa Mais Brasil

Compartilhe
Entidade:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *