Banco Central estuda implementar o Real digital, mas sem data definida

O Banco Central (BC) estuda implementar o Real digital, mas sem data definida ainda, conforme a autoridade monetária.

O objetivo da instituição é reduzir a circulação de papel-moeda, bem como as frequentes idas aos bancos para qualquer finalidade, além de facilitar o dia a dia da população.

A medida vem na esteira do Pix, sistema de pagamentos e transferências eletrônicas que o BC lançou meses atrás e já caiu no gosto do brasileiro, tornando-se um dos recursos mais utilizados e deixando para trás o DOC e o TED.

Banco Central estuda implementar o Real digital, mas sem data definida

BC – Real Digital

Conforme o BC, em junho de 2021 o total de papel-moeda em poder das pessoas era de R$ 283 bilhões, enquanto o volume de depósitos à vista (dinheiro depositado em conta-corrente, sem remuneração pelo banco) era de R$ 333 bilhões.

Também disse que ao acrescentar a esse valor outras formas de liquidez, como os depósitos remunerados, operações compromissadas (compra e recompra de ativos com pagamento de juros) e títulos públicos federais, havia um total de R$ 8,9 trilhões disponíveis de forma digital. Ou seja, apenas cerca de 3% dos recursos disponíveis para as operações no país estão na forma de papel-moeda.

  • Conheça o Eleve CRM, nossa solução digital para vendas complexas

CBDC

À Agência Brasil, o BC destacou que tem trabalhado para estabelecer as bases para o desenvolvimento da CBDC [Central Bank Digital Currency, em inglês].

E acrescentou que a moeda digital será garantida pelo BC e as instituições financeiras vão apenas guardar o dinheiro para o cliente que optar pela nova modalidade.

Também frisou que entre as diretrizes estão a ênfase no desenvolvimento de modelos inovadores a partir de evoluções tecnológicas, como contratos inteligentes (smart contracts), internet das coisas (IoT) e dinheiro programável; a previsão de uso em pagamentos de varejo; e a capacidade para realizar operações online e, eventualmente, offline.

Pelo mundo

Ainda de acordo com o BC, as Bahamas foram o primeiro país a lançar oficialmente seu CBDC, o Sand dollar, em outubro de 2020. A China tem um projeto-piloto em algumas cidades e fará testes com visitantes estrangeiros nos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim de 2022.

O banco central dos Estados Unidos, o Fed, e a Digital Dollar Foundation trabalham para lançar a moeda digital também. Outros países, como Coreia do Sul, Japão e Suécia, também estudam o lançamento da CBDC.

Compartilhe
Entidade:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *