Assistência Social de Joinville valoriza atuação abrangente e intersetorial

Reunião da SAS com a comunidade para falar dos trabalhos da pasta

 

Com ampla rede de atendimento de proteção social nos níveis básico, de média e alta complexidade, a Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Assistência Social (SAS), vem atuando de forma cada vez abrangente em todo o município.

Em 2018, os Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) e o Centro de Convivência Intergeracional (CCI), realizaram 99.657 atendimentos.

As Unidades integram a rede de Proteção Social Básica e têm como uma das principais atribuições a realização do Cadastro Único (CadÚnico), dispositivo necessário para encaminhamento a diversos serviços e benefícios sociais, como a tarifa social de água e energia, cursos profissionalizantes, Carteira do Idoso, Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida, Telefone Popular, aposentadoria para dono (a) de casa, isenção de taxa para concursos públicos, entre outros.

Atualmente, Joinville conta com nove Unidades dos CRAS, localizados nos bairros Adhemar Garcia, Aventureiro, Comasa, Floresta, Jardim Paraíso, Morro do Meio, Paranaguamirim, Parque Guarani e Pirabeiraba.

“Com o reordenamento da Proteção Social básica, estamos mais próximos da comunidade. Anteriormente, 75% da população de Joinville era atendida na sede da SAS, e os outros 25% nas três unidades dos CRAS. Hoje, são nove Unidades e todas as regiões estão cobertas pelo atendimento”, afirma o secretário de Assistência Social, Vagner Ferreira de Oliveira.

No que se refere aos serviços de Proteção Social Especial de Média Complexidade, oferecidos nas Unidades Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), vale destacar o trabalho intensivo da equipe multidisciplinar formada por psicólogos, assistentes sociais, pedagogos, educadores e agentes administrativos, que têm a missão de atender públicos vulneráveis, como menores infratores, mulheres e idosos, em situações onde os seus direitos já foram violados.

No ano passado, os CREAS Sul, Norte e Bucarein e o Centro POP (Serviço de Atendimento à Pessoa em Situação de Rua), registraram mais de 38 mil atendimentos.

Já os serviços de Proteção de Alta Complexidade, que compreendem o Abrigo Infanto Juvenil, a Casa Abrigo Viva Rosa e o Programa Famílias Acolhedoras, ultrapassaram os 3,9 mil atendimentos.

 

Abrangência e intersetorialidade

Além da abrangente rede de atendimento e da robusta equipe profissional, a área de assistência social de Joinville destaca-se pela diversidade de serviços oferecidos e pela efetiva participação de diferentes agentes e entidades.

Para o secretário Vagner de Oliveira, o município se destaca em nível estadual, graças a toda rede socioassistencial que atua de forma coesa para proporcionar aos usuários acolhimento, redução ou solução das suas necessidades.

“Contamos com uma rede formada por mais de mil pessoas que trabalham diretamente. São diversas entidades, cada uma com sua especificidade, com serviços de acolhimento, reabilitação e residência inclusiva”, afirma.

Outro aspecto importante é a intersetorialidade entre diversos órgãos do município, como Secretarias da Saúde, Educação e Cultura e Turismo, com quem a SAS realiza vários programas em comum.

Os planos para ampliação dos serviços continuam para este ano: “Nossa meta para 2019 é a abertura do banco de alimentos que irá beneficiar pessoas e entidades sociais em Joinville”, conclui o secretário.

 

Mais notícias

Compartilhe
Entidade:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *